Sea of Stars

Sea of Stars: um promissor “RPG à moda antiga”

Há algumas semanas, um projeto de jogo chamado Sea of Stars causou alvoroço na comunidade gamer por apresentar construções inspiradas em RPGs clássicos da década de 1990.

Não sei se isso acontece com você, mas, sempre que posso, eu faço buscas na internet, com o intuito de encontrar aquilo que chamo de “jogos de RPG à moda antiga”. Isto é, jogos que, de algum modo, remetem aos clássicos RPGs do Super Nintendo e do PS1.

Por isso, quando coloquei os meus olhos em Sea of Stars, não pude deixar de dar alguns pulos de alegria. E eu fiquei ainda mais feliz quando verifiquei que a campanha de financiamento coletivo do game havia sido um sucesso.

Daí… eu resolvi criar este artigo com a intenção de chamar a sua atenção para o promissor Sea of Stars e, ao mesmo tempo, fazer a minha parte na divulgação desse game que merece chegar às mãos dos fãs de RPG… vamos conhecer essa provável obra-prima?

Sea of Stars

Sea of Stars: um resumo do projeto…

Para você que não sabe nada sobre Sea of Stars, mas ama jogos de RPG “à moda antiga”, posso dizer que o game é totalmente inspirado nos clássicos RPGs da década de 1990.

O projeto está sendo desenvolvido pela Sabotage Studio (desenvolvedora do aclamado The Messenger). Aliás, essa é uma desenvolvedora indie que não poupa palavras ao afirmar que cria jogos inspirados no passado. E isso fica claro, quando observamos as primeiras imagens de Sea of Stars…

De modo geral, o jogo será um RPG baseado em turnos, criado para funcionar como uma espécie de história inicial (uma prequela), no universo do jogo The Messenger. A trama vai girar em torno de dois jovens que irão combinar seus poderes para criar a única força capaz de derrotar um alquimista maligno.

Confesso que não achei esse argumento tão atrativo, mas, quando dei uma “primeira olhada” nos trailers do game, acabei me apaixonando pela arte. Confira…

O sucesso no Kickstarter

Como eu destaquei, Sea of Stars foi apresentado ao mundo por meio de uma campanha no Kickstarter. O projeto chamou tanta atenção que rapidamente “bateu” as metas propostas.

Contudo, as coisas acabaram ganhando um proporção ainda maior. Para você ter uma ideia, em dado momento, Yasunori Mitsuda, criador da trilha sonora de Chrono Trigger (e de outros RPGs clássicos) resolveu fazer parte do projeto.

“Sem saber por que, ‘eu quero criar música para esse game’ foi o sentimento que eu tive quando vi o jogo transmitir a nostalgia da era de ouro do anos 90”, afirmou Mitsuda, quando se uniu ao projeto.

E sim, Chrono Trigger é uma das maiores influências do game, o que faz o apelo dessa promessa ficar ainda maior.

De qualquer forma, para resumir aquilo que a campanha no Kickstarter conseguiu, criei uma pequena lista:

• Valor para a execução do projeto em sua totalidade;
• Modo Single Player+ e uma Dungeon Bônus;
• Cinemáticas “in-game”;
• Documentário apresentando os bastidores do processo de desenvolvimento;
• New Game+ e Final Alternativo;
• DLC exclusivo para apoiadores, intitulado Throes of the Watchmaker.

Cabe destacar que os desenvolvedores da Sabotage Studio têm mantido a página no Kickstarter bem atualizada, com “updates” que já nos dão uma boa ideia de tudo aquilo que está por vir… não deixe de conferir!

Sea of Stars será o sucessor/herdeiro de Chrono Trigger?

Quando Sea of Stars foi apresentado, não foram poucas as pessoas que correram para rotular o game como um sucessor/herdeiro de Chrono Trigger. Nesse caso, acredito que tais afirmações são um pouco temerárias.

Observando o game, fica claro que há muitas semelhanças com Chrono Trigger e, caso Sea of Stars siga pela linha desse clássico, duvido que alguém irá reclamar.

No entanto, taxar um game que sequer foi lançado, como um sucessor/herdeiro de uma das maiores lendas da história dos games é algo bem injusto. Acredito que o projeto tem sim, grandes aspirações e segue por um caminho que muitos players veteranos curtem, mas… calma aí!

Sea of Stars

De acordo com a humilde opinião deste fantasma que escreve, será muito mais justo (e honesto) aguardar até que o projeto seja liberado. Depois disso, as comparações e análises poderão ser feitas com base em algo mais palpável (assim como eu fiz, ao buscar por um sucessor espiritual para Final Fantasy Tactics).

E ainda dando a minha opinião (que ninguém pediu), acho que Sea of Stars tem tudo para ser um grande game, assim como foi o excelente The Messenger.

Portanto, se você também dedica um bom tempo às suas buscas por RPGs “à moda antiga”, sugiro que fique de olho em Sea of Stars. Afinal, não é todo dia que você pode visitar o passado, por meio de algo novo, não é mesmo? Até a próxima!

Yohan Bravo