Por que Hideo Kojima gosta de criar jogos estranhos? Deixe-o explicar…

Hideo Kojima, que há muito tempo é um dos nomes mais poderosos no mundo dos games, tem estado no centro das atenções por conta do promissor Death Stranding. O game, que será lançado no dia 08 de novembro, está prometendo uma verdadeira revolução, mesmo abordando assuntos “pesados” de uma forma bem pouco convencional.

Aliás, em relação aos seus produtos não convencionais, Kojima resolveu explicar os motivos que levam suas ideias a serem tão estranhas. Confira o que o japonês disse em uma apresentação do jogo Death Stranding…

“Eu acho que simplicidade é bom, mas ela é consumida muito rapidamente. É como comida: qualquer coisa que seja digestível, acaba esgotando. […] E não fica no corpo. Mas se algo é muito estranho a ponto de não ser digestível, ela fica no teu corpo. E você não faz ideia do que é. Os humanos têm esse sentimento intelectual que é demorado. Se um filme te prende, você vai assisti-lo várias e várias vezes. Você vai querer conversar com as pessoas sobre ele. Ou, talvez, vai querer assistir para repensá-lo mais uma vez. É então que você começa a entender seu verdadeiro significado. É então que isso se torna algo concreto, algo de verdade — e fica no teu corpo. Eu quero criar coisas assim”.

Após essa explicação, Kojima ainda pontuou que sua abordagem em relação ao mundo dos video games é inspirada no cinema. Isso explica por que os jogos criados pelo japonês têm um ar tão magnânimo.

Yohan Bravo