Pixel Art

Pixel Art: 10 Games Exemplares que Mostram o Poder da Técnica

O que é que você entende por “Gráficos Pixelados”? Bem, a princípio, posso dizer que esse é um marcador bem popular na Steam. Ele é usado para agrupar todos os jogos cujos gráficos são construídos por meio de uma técnica conhecida como Pixel Art.

Como o nome sugere, essa técnica é uma forma de Arte Digital que usa os famosos pixels como seus elementos mais básicos. No mundo dos games, a referida técnica foi aplicada de forma massiva no passado, caiu em desuso por um tempo, mas retornou com toda a força, graças aos jogos indie.

Isto é, construções em Pixel Art seguem uma linha retrô, possuem muitas limitações, mas, ainda assim, conseguem encantar os gamers que têm certo apreço por coisas mais artísticas. E sim, como eu fui artista em uma das minhas vidas passadas, não consigo resistir a um bom game com gráficos pixelados.

Aliás, para poder lhe apresentar a técnica de Pixel Art de uma forma adequada, tratei de separar aqui uma lista com 10 jogos que a aplicam de uma forma primorosa. Então, se você também acha que jogos são obras de arte, sugiro que não deixe de acompanhar até o fim… vamos começar?

O que é Pixel Art?

Como eu já adiantei, Pixel Art (ou Arte Pixel) é o nome dado a uma forma de Arte Digital cujos produtos finais são gerados a partir da utilização de elementos básicos, conhecidos como pixels.

O termo Pixel Art foi utilizado pela primeira vez em 1982, em uma publicação de Adele Godberg e Robert Flegal. No entanto, segundo os registros históricos, o conceito nasceu dez anos antes, juntamente com o sistema Super Paint, desenvolvido por Richard Shoup.

Aliás, cabe destacar que a qualidade dos produtos gerados por meio da técnica está intimamente ligada com o sistema de cores utilizado e o poder do hardware. Isso explica por que os jogos indie mais recentes parecem ter uma qualidade gráfica superior à dos jogos antigos, mesmo usando a mesma ideia básica.

No passado, a técnica de Pixel Art foi bastante utilizada, mas acabou perdendo popularidade, com o advento das construções 3D e de outras técnicas de geração de gráficos.

Hoje, se encontramos tantos jogos que fazem uso dos pixels, podemos dizer que se trata de uma escolha artística. Sim, os desenvolvedores decidem aplicar um “ar retrô” às suas criações. E, claro, desenvolver elementos em Pixel Art é muito mais fácil do que criar modelos 3D espetaculares…

Exemplos de Games feitos com Pixel Art

Agora que você já sabe como funciona a técnica de Pixel Art, podemos avançar para os exemplos. Nesse caso, criei uma lista com 10 games que aplicam essa técnica com maestria. Confira…

Dead Cells

Com sua peculiar paleta de cores, Dead Cells é um game capaz de abrir a minha sequência de exemplos de uma forma impecável. O título foi lançado em 2018 e se tornou um dos grandes destaques em um dos anos mais marcantes para o segmento dos jogos indie.

Classificado como um roguelike-metroidvania, Dead Cells traz uma ambientação incrível, com cores contrastantes e lindos efeitos visuais. Resumindo, o título da Motion Twin é uma obra de arte que exala criatividade e evidencia o domínio da desenvolvedora sobre a técnica de Pixel Art.

Blasphemous

Seguindo por uma linha mais sombria e usando cores mais “fechadas” e tons escuros, Blasphemous é uma prova de que as construções em pixels podem causar arrepios, mesmo não sendo tão realistas.

Lançado em 2019, Blasphemous é um dos muitos jogos metroidvania de qualidade que estão à disposição dos fãs desse subgênero. Suas construções, segundo os desenvolvedores (The Game Kitchen), foram influenciadas pela arte religiosa e iconográfica da cidade de Sevilla, na Espanha. Pura arte!

Death’s Gambit

Mantendo esta lista dentro da linha sombria, Death’s Gambit surge como mais um belo exemplo. O jogo foi lançado em 2018 e chamou a atenção por exibir chefões imensos, mesmo em limitados ambientes 2D.

O trabalho da White Rabbit neste título foi impecável. Death’s Gambit teve sua direção de arte bastante influenciada pelos jogos da franquia Castlevania, mas outros games, como Dark Souls e Shadow of the Colossus, também foram citados na lista de referências. Obviamente, essa lista apenas fortalece o apelo visual da obra.

Titan Souls

Falemos agora de um jogo cujos cenários acabam funcionando como lindos quadros pintados com pixels… Titan Souls, lançado em 2015, é um game cuja perspectiva top-down acaba abrindo margem para uma maior contemplação do plano geral.

Assim, o player que joga Titan Souls acaba se deparando com imagens muito bem construídas e escolhas artísticas que causam bastante impacto. O personagem principal não é o mais bem desenhado, mas os “chefões gigantes” compensam. Belo trabalho da Acid Nerve.

Rain World

Difícil, mas muito recompensador… esse é Rain World. Lançado em 2017, esse produto da Videocult possui uma carga emocional enorme, que é intensificada ao máximo pelo excelente uso da técnica de Pixel Art.

Embora os muitos desafios de Rain World não permitam muitos momentos de descanso, quando paramos para observar os planos de fundo e as construções típicas de jogos de plataforma, percebemos que tudo caberia em um belo quadro. Resumindo, um jogo belíssimo, em todos os sentidos.

Dark Devotion

Entrando na segunda metade da minha lista, apresento Dark Devotion, um forte concorrente ao título de “Dark Souls 2D”. O game foi lançado em 2019 e conseguiu acumular muitos reviews positivos, por conta da trama envolvente, das excelentes mecânicas e da ambientação impecável.

Dark Devotion é mais um game desta lista que aposta nas construções sombrias. O jogo tem uma temática bastante pesada e todos os ambientes ajudam a transmitir suas ideias controversas de uma forma perfeita. O trabalho da Hibernian Workshop nos cenários atrativos e nos chefões foi incrível nesse título!

Celeste

Desenvolvido pela Matt Makes Games, Celeste foi um dos grandes destaques do excelente ano de 2018. Curiosamente, o game é bem simples, em termos artísticos. Porém, é inegável que seu Level Design merece ser reverenciado.

Celeste é um típico jogo de plataforma, mas a combinação de diversos elementos conseguiu transformá-lo em uma singularidade. A paleta de cores e a harmonia dos ambientes (com a proposta da aventura) tornam o game um grande exemplo da boa utilização da técnica de Pixel Art.

Skautfold: Shrouded in Sanity

Combinando a técnica de Pixel Art com um incrível jogo de luz e sombra, Skautfold: Shrouded in Sanity é um jogo que deveria ser muito mais conhecido do que é. O título fez sua estreia em 2016 e quem o jogou sabe muito bem como ele é desafiador e envolvente.

No que diz respeito aos cenários, Skautfold: Shrouded in Sanity é um espetáculo à parte. A ambientação cumpre sua missão com muita eficiência e, mesmo que muitas construções fiquem escondidas pelas sombras, quando uma pequena luz passa sobre certos detalhes, podemos confirmar a qualidade do trabalho do desenvolvedor Steve Gal. Detalhe: Skautfold é uma franquia, ok? Vale a pena observar os outros títulos também!

Unworthy

Surgindo como o “diferentão” desta lista, temos Unworthy, um game que encanta, mesmo oferecendo apenas o vermelho do sangue como elemento colorido. O jogo foi criado pelo desenvolvedor solitário Aleksandar Kuzmanovic e, desde 2018, tem encantado quem o joga.

Unworthy faz um interessante uso de escalas de cinza, criando uma ambientação sombria e perfeitamente ajustada à temática da aventura. Temos aqui um Metroidvania bem desafiador e visceral, que usa os pixels de uma forma majestosa.

Children of Morta

Pra fechar a minha lista, escolhi um dos jogos mais emocionantes que joguei nos últimos tempos: Children of Morta. Lançado em 2019, esse game é um dos mais incríveis, quando o assunto é a classificação “Gráficos Pixelados”.

Embora a narração tenha um papel essencial no apelo da história, são os cenários e as animações de Children of Morta que acabam tocando o coração do player. Na minha visão, não há game mais bonito, a nível de Pixel Art! Obrigado, Dead Mage… por ter criado essa obra prima!

Pixel Art: a criatividade nos mínimos detalhes!

Como pôde perceber não faltam exemplos de qualidade para ilustrar como a técnica de Pixel art pode ser aplicada ao mundo dos games de uma forma incrível, mesmo sendo uma forma de arte “ultrapassada”.

Além dos 10 títulos apresentados aqui, o mundo dos games está cheio de belos games feitos em Pixel Art. Logo, se você curte uma jornada mais artística, siga a guia “Gráficos Pixelados” e aproveite. Até a próxima!

TagsListas
Yohan Bravo