Os 10 jogos mais vendidos da franquia Castlevania

Decidimos relembrar os dez jogos mais vendidos da franquia, segundo o VGChartz.

Vale notar que estamos apenas considerando a primeira versão de cada jogo e não edições posteriores, somando as vendas de todas as plataformas onde foi lançado. Além disso, o site não divulgou as vendas de Symphony of the Night no Saturn, então o número que você verá provavelmente deve ser razoavelmente maior na realidade.

Os dez primeiros somam 9,57 milhões de unidades vendidas! Será que o seu Castlevania preferido se saiu bem nas lojas?

10 – Castlevania: Dawn of Sorrow (2005)

Sequência de Aria of Sorrow, do Game Boy Advance, este foi o primeiro jogo da franquia no DS. Dawn of Sorrow continuou utilizando a fórmula estabelecida em Symphony of the Night, mas adicionou diversas novas mecânicas que aprofundavam a jogabilidade. A história e os personagens também ajudaram a fazer deste título um dos preferidos entre os fãs.

Vendas: 430 mil unidades
Plataforma:Nintendo DS

9 – Super Castlevania IV (1991)

Para muitas pessoas que não tiveram o Nintendinho, este foi o primeiro jogo da franquia em suas vidas. O título é, na verdade, uma espécie de remake do primeiro, recontando a história de Simon Belmont. Super Castlevania IV marcou a geração por seus gráficos bastante avançados para época e jogabilidade dinâmica, se sustentando como um bom jogo mesmo hoje em dia. Caso não conheça o game, jogue, porque é um clássico.

Vendas: 630 mil unidades
Plataforma: Super Nintendo

8 – Castlevania (1999)

Também conhecido como Castlevania 64, foi o primeiro jogo totalmente 3D da franquia e o resultado foi uma tragédia inesquecível. Considerado um dos piores da série, ele foi uma grande decepção, principalmente porque, a essa altura, a franquia já tinha tido títulos muito bons, o que fez a expectativa dos fãs subir mais ainda. Justamente um dos motivos para que o título apareça nesta lista.

Vendas: 640 mil unidades
Plataforma: Nintendo 64

7 – Castlevania III: Dracula’s Curse (1989)

Justamente o jogo que servirá de inspiração para a série da Netflix. Castlevania III inovou ao permitir que o jogador controlasse quatro personagens: o caçador de vampiros Trevor Belmont, a sacerdotisa Sypha Belnades, o pirata Grant Danasty e Alucard, o filho de Drácula, que fez sua primeira aparição na franquia. Os heróis contam com habilidades completamente distintas, cada uma adequada para uma situação diferente no jogo.

Vendas: 850 mil unidades
Plataforma: NES

6 – Castlevania: Circle of Moon (2001)

Não é exatamente o título mais lembrado pelos fãs, mas Circle of Moon surpreendeu na época de seu lançamento pelo gameplay completo e sólido que seguia o estilo de Symphony of the Night, algo que não parecia possível em um portátil até então. Graças a ele, o Game Boy Advance se provou uma excelente plataforma para futuros jogos da franquia.

Vendas: 890 mil unidades
Plataforma: Game Boy Advance

5 – Castlevania II: Simon’s Quest (1987)

A qualidade deste jogo é questionável e ele é infame por conta de algumas péssimas decisões de design, dificuldade e quebra-cabeças tão enigmáticos que muitos só podem ser resolvidos com detonados ou sorte, graças à sua horrível tradução. Ainda assim, Simon’s Quest era ambicioso, adicionando um mundo aberto para explorar, NPCs para conversar e os primeiros elementos de RPG que se tornariam padrão na franquia.

Vendas: 930 mil unidades
Plataforma: NES

4 – Castlevania: Lament of Innocence (2003)

Aproveitando o sucesso de Devil May Cry, parecia perfeito que Castlevania se aventurasse em um estilo de hack’n’slash extremamente parecido com o da franquia da Capcom, com um enorme castelo para explorar, quebra-cabeças para resolver e muitos combos para dar. No entanto, o jogo reteve alguns dos mais tradicionais elementos, entregando uma experiência similar, mas ainda assim própria.

Vendas: 940 mil unidades
Plataforma: PlayStation 2

3 – Castlevania (1986)

Aquele que iniciou a franquia. Em uma época que jogos de plataforma em geral seguiam o estilo de Super Mario Bros., Castlevania ousou ser diferente, oferecendo uma temática de horror. O jogo também se destacava por sua dificuldade, que exigia movimentos precisos dos jogadores e bom conhecimento sobre os inimigos e sobre o ambiente. Para muitos, ainda é um dos melhores jogos da franquia. Aliás, é tão memorável que sua capa inspirou um dos cartazes da nova série da Netflix.

Vendas: 1,23 milhão unidades
Plataforma: NES

2 – Castlevania: Symphony of the Night (1997)

Considerado um dos melhores jogos não apenas da franquia, mas também da própria história dos games, Symphony of the Night estabeleceu de vez tudo o que conhecemos sobre Castlevania. Utilizando mecânicas da série Metroid, o jogo adicionou elementos de RPG e mecânicas próprias, ajudando a definir o gênero conhecido popularmente como Metroidvania. Além de excelente jogabilidade, o jogo se destacou por seus belos gráficos, diálogos dublados, músicas memoráveis e um mapa inesquecível. Um clássico absoluto.

Vendas: 1,27 milhão de unidades
Plataforma: PlayStation, Saturn

1 – Castlevania: Lords of Shadow (2010)

Com uma temática mais ocidental e desconsiderando o cânone original, Lord of Shadow foi um recomeço para a franquia. Com inspirações de God of War e muito mais focado em história, o novo jogo reapresentou a franquia para a nova geração com um gameplay competente e personagens interessantes. Infelizmente, a nova série (e a própria franquia) parou de vez desde o segundo jogo, de 2014, deixando os fãs esperando por um novo episódio da família Belmont.

Vendas: 1,76 milhão de unidades
Plataforma: PlayStation 3, Xbox 360

Fonte: Jovemnerd


Wellington Dantas