fbpx
Jogos Indie: 13 exemplos que vão mexer com a sua mente!

Jogos Indie: 13 exemplos que vão mexer com a sua mente!

Você também fica impressionado(a) com a qualidade que os jogos indie têm alcançado ultimamente? Olha… eu fico (e muito).

Acho incrível como, armados com criatividade e força de vontade, certos desenvolvedores conseguem superar grandes desafios e entregar aventuras memoráveis aos players. Aventuras que, muitas vezes, são melhores do que projetos de empresas com orçamentos muito maiores.

Sem sombra de dúvidas, a qualidade dos jogos indie é capaz de inspirar qualquer pessoa que sonha em criar jogos lendários. E, claro, essa qualidade faz com que os players acabem se apaixonando pela cena indie.

Dito isso, informo a você que, neste post, vou fazer uma espécie de tributos aos desenvolvedores indie. Isto é, reuni aqui 13 jogos indie de extrema qualidade. Você, como gamer, vai ficar com um lista poderosa em mãos… quem sonha em criar jogos, vai ter uma dose cavalar de inspiração. De uma forma ou de outra, sugiro que se prepare para o que está por vir…

O que são Jogos Indie?

Antes de mergulhar na lista com 13 jogos indie que vão mexer com a sua mente. Permita-me falar um pouquinho sobre os jogos indie… Explicar esse conceito irá situar os players que ainda estão conhecendo esse mundo independente.

De modo geral, os jogos indie (ou jogos eletrônicos independentes) são games criados por uma só pessoa (ou equipes bem pequenas), sem qualquer espécie de apoio financeiro por parte das publishers. Sabe aquela história de “Faça Você Mesmo”, do Punk Rock? Bem, é isso.

Obviamente, com um protótipo do game já é possível apresentá-lo a investidores ou dar início a campanhas de financiamento coletivo. E isso, acaba levantando uma discussão sobre o que é e o que não é um jogo indie.

Por conta disso, o conceito pode acabar não tendo uma definição definitiva. Ainda assim, essa ideia de “Faça Você Mesmo” pode ser perfeita para ilustrar como funcionam os jogos indie. Agora, após essa breve explicação (talvez inútil), podemos ir para a lista… vem comigo!

Dead Cells

Abrindo esta poderosa lista de jogos indie, temos Dead Cells. Lançado em 2018, o game foi um dos grandes destaques da cena indie no referido ano. Classificado como um roguelike-metroidvania, o jogo apresenta mecânicas muito interessantes e um enredo capaz de cativar os jogadores.

Tendo como plano de fundo criações de beleza ímpar (em estilo pixel art), o projeto da Motion Twin coloca os jogadores no controle de uma criatura curiosa que luta contra outras criaturas (curiosas e perigosas) para sair de uma masmorra.

Por ter elementos “roguelike”, o game tem ambientes gerados proceduralmente e os frustrante sistema de “permadeath”, no qual, ao morrer, todas as células (espécie de moeda do jogo) e outros itens são perdidos. Resumindo, Dead Cells é um jogo desafiador e lindo que não pode ser deixado de lado!

Celeste

Celeste foi mais uma das grandes surpresas do mundo indie que surgiram no ano de 2018. O game chegou a concorrer ao GOTY 2018, contra produções gigantes como God of War e Red Dead Redemption 2. Apesar de não ter vencido o prêmio principal, Celeste abocanhou outros prêmios, provando seu valor.

Dentre todas as beleza dos jogo, o level design é realmente impressionante. Seguindo o estilo pixel art, o game se apresenta como uma poderosa aventura 2D de plataforma. Não à toa, a crítica especializada diz que o game é uma experiência imperdível.

Em relação à história, temos uma heroína chamada Madeline, que enfrenta demônios enquanto dá continuidade à jornada para alcançar o topo da Montanha Celeste. Enfim, como pontuam os críticos, é uma experiência essencial. Vale muito a pena conferir esse game brilhante.

The Binding of Isaac

Para provar que “a onda de jogos indie” não começou “ontem”, The Binding of Isaac, lançado em 2011, surge como um título tão poderoso quanto genial. O game é um dos precursores desse “boom” da cena indie, e não é difícil entender por qual razão…

The Binding of Isaac segue o estilo roguelike e apresenta aos jogadores uma história madura e bem “pesada”. Na verdade, não seria exagero algum dizer que o game é uma releitura da passagem bíblica conhecida como Sacrifício de Isaac.

Desafiador como qualquer roguelike, o game tem construções simples, mas seu gameplay é viciante. Aliás, esse game foi tão importante que inspirou muitas aventuras que fizeram sucesso anos depois, como o próprio Dead Cells, que já foi citado nesta lista.

Undertale

Falando em precursores do “boom” de jogos indie, não posso deixar de citar o genial Undertale. Mesmo com toda a sua simplicidade, esse game, lançado em 2015, se tornou um verdadeiro clássico. Detalhe: esse é um dos títulos que foram feitos por um único desenvolvedor (quer inspiração maior?).

Toda a genialidade de Undertale se encontra em sua história. Certamente, poucos jogos conseguiram, em toda a história, mexer com nossos lados humanos e incitar tantas reflexões.

Usando elementos de RPG, o game conta a história de uma criança que cai em um mundo dominado por monstros. Daí, coisas incríveis acontecem e questões sérias como o amor ao próximo são sempre colocadas em debate. Que jogo lindo!

Gris

Falemos agora de um obra de arte em forma de game. Não, não estou exagerando. Gris é, sem dúvidas, umas das experiências visuais mais belas que já surgiram no mundo dos games. Lançado no fim de 2018, o game foi um presente de natal inesquecível.

Seguindo uma linha minimalista de elevado requinte estético, Gris aborda temas profundos, colocando os jogadores “dentro da mente” de uma jovem garota que está perdida em seu próprio mundo de ilusões.

Sim, muitas pessoas não conseguiram se encaixar com a proposta minimalista do game (a ausência de textos pode ser frustrante), mas é inegável que se trata de uma opção extremamente original. Gris é o game para quem gosta de respirar profundamente.

Project Zomboid

Saindo de uma experiência visual impressionante, nossa lista de jogos indie entra em um game de construções simples, mas com um gameplay muito envolvente. Project Zomboid, lançado em 2013, é uma das melhores abordagens já feitas dentro da temática “Apocalipse Zumbi”.

O jogo ainda está em Early Access, na Steam, mas já mostrou seu valor. Como eu disse, a simplicidade do projeto é enorme, porém, não há como não se envolver com os desafios. A luta pela sobrevivência nesse jogo é tão realista… que assusta.

Com cenários isométricos bem antiquados, o game coloca os players dentro de uma cidade enfestada por zumbis. Sim, é uma ideia que muitos jogos já exploraram. Contudo, posso confirmar que Project Zomboid é único e merece toda a sua atenção.

Rivals of Aether

Considerado com uma espécie de sucessor espiritual do lendário Super Smash Bros. (1999), Rivals of Aether surgiu em 2017 e, sem demoras, deixou os players encantados com seu gameplay de extrema qualidade. Detalhe: esse é mais um jogo criado por uma única pessoa.

Em linhas gerais, a ideia básica do jogo é promover duelos entre criaturas poderosas oriundas de diversos cantos do mundo. Em um cenário 2D, com um belo visual, o objetivo dos players é superar seus adversários.

Por conta do seu gameplay movimentado, Rivals of Aether acabou se tornando uma excelente pedida para o mundo dos eSports. Ainda hoje, as competições “pegam fogo”, fazendo os gamers amarem cada vez mais esse jogo tão divertido.

Darkest Dungeon

Agora nossa lista de jogos indie vai entrar em uma sequência de opções para quem não dispensa um bom RPG. Então, prepare-se, pois o primeiro título desse pequeno combo é o belo Darkest Dungeon (lançado em 2016).

Com um estilo artístico diferenciado (gótico… sombrio, mas lindo), o game apresenta uma proposta diferente para os famosos Dungeon Crawlers. Sim, as aventuras seguem um esquema de RPG em turnos, mas abordam assuntos sérios, como a pressão psicológica de enfrentar tantos perigos.

Com mais de 80 horas de gameplay, a história do jogo varia em função das escolhas dos players, mas aborda uma busca para explorar a propriedade dos antepassados dos heróis. Sinceramente, por ser um amante de jogos de RPG, posso dizer que esse é um título imperdível para fãs do gênero.

Slay the Spire

Continuando com nosso pequeno combo de RPGs dentro desta lista de jogos indie, temos Slay the Spire. Lançado em 2019, o game coleciona reviews positivos na Steam. E não é sem motivos…

Slay the Spire combina uma série de elementos de jogos de RPG, com um gameplay baseado em jogos de cartas (TCG) e jogos roguelike. Resumindo, a aventura é uma mistura excêntrica que exala originalidade.

No que diz respeito à história, o game não chega a ser o mais original. Afinal, toda a aventura se passa em torres cujos níveis só podem ser superados pelos personagens com as cartas mais poderosas. O combate estratégico (em turnos) é muito empolgante. Não há como deixar de experimentar esse jogo.

For The King

Fechando nosso combo de jogos de RPG, apresento o belíssimo For The King. Lançado em 2018, a aventura leva os fãs de jogos de RPG de tabuleiro para uma versão digital de tudo que essas aventuras lúdicas têm a oferecer.

Com muitas aventuras e um mundo enorme para ser explorado, For The King encanta de diversas formas. Desde a história até o sistema de batalhas, a jornada dos guerreiros que lutam por seu rei é impecável.

Cabe destacar que For the King é mais um dos muitos jogos indie que estão à disposição dos players no Xbox Game Pass. Aliás, quando o assunto é jogos indie, o serviço da Microsoft merece muitos aplausos.

Void Bastards

Saindo do mundo dos RPGs, Void Bastards surge como uma opção muito original para os fãs de jogos de FPS. Com um visual impecável, o game, lançado em 2019, é uma produção dos mesmos criadores do lendário Bioshock.

Com uma “pegada” extremamente tática, Void Bastards força os players a lidarem com mais variáveis do que apenas mirar e atirar. Sim, os players lideram uma equipe e devem fazer de tudo para explorar uma zona espacial lotada de perigos.

Conforme eu destaquei, o visual do game é impecável. E não, não estou exagerando. Void Bastards parece um cartoon, com cenas cômicas se misturando a passagens mais violentas. Realmente, uma experiência singular.

This War of Mine

Estou chegando ao fim desta lista de jogos indie, mas não poderia deixar de citar o incrível This War of Mine. Lançado em 2014, esse é um dos jogos que mais me deixaram envolvidos. Sério, eu cheguei a me preocupar de verdade com os personagens.

De maneira bem resumida, This War of Mine é um The Sims sombrio. Isto é, temos aqui um jogo de simulação. Porém, o jogo se passa em um período de guerra e os players devem controlar personagens que lutam pela sobrevivência.

O que chama a atenção nessa obra-prima é a forma como a aventura consegue ser imersiva. Em diversos momentos, o player é forçado a realizar exercícios de consciência surreais. O ritmo do game pode ser um pouco “arrastado”, mas é impossível, para os mais empáticos, não ficarem viciados nesse jogo.

Blasphemous

Já que eu abri esta lista de jogos indie com um belo metroidvania, resolvi encerrá-la com outro título promissor, dentro desse gênero. Blasphemous, lançado em 2019, é um game que incorpora o lado mais Castlevania do metroidvania.

Com um visual cuidadosamente trabalhado com a técnica de pixel art, Blasphemous apresenta um gameplay dinâmico, com grandes desafios, muita exploração e puzzles de “fundir a cuca”. Com certeza, o game é mais uma das grandes promessas entre os jogos indie.

A história do jogo envolve uma temática sombria, que se encaixa perfeitamente com os cenários e com o estilo artístico. Tudo no game se encaixa de forma perfeita. O que faz qualquer fã de um bom metroidvania sorrir “de orelha a orelha”.

O mundo dos jogos indie é enorme…

Quando decidi criar esta lista de jogos indie, minha intenção era apresentar os grandes títulos que esse mundo independente possui. Todavia, quando comecei a pesquisar, tive a certeza de que esse mundo é grande demais e que ele continua crescendo.

Sendo assim, vou pedir a sua ajuda para que, juntos, possamos deixar esta lista de jogos indie ainda mais completa. Isto é, se puder comentar e compartilhar o post, dando novas indicações e sugestões de títulos, poderemos criar uma relação definitiva, com os melhores jogos indie… Posso contar com você? Agradeço e… até mais!

Yohan Bravo