Jogos de Animes e Animes de Jogos

Jogos de Animes e Animes de Jogos: 20 exemplos dos dois universos!

“Jogos de Animes, Animes de Jogos”… por mais que esse jogo de palavras pareça um pouco confuso, acredito que ele é perfeito para resumir o tema que eu decidi abordar neste artigo.

Afinal, quando digo (escrevo) “Jogos de Animes”, estou falando de jogos de vídeo game que foram baseados nos famosos desenhos japoneses. Em contrapartida, quando falo sobre “Animes de Jogos”, estou falando sobre animes que foram baseados em games.

Resumindo, nesta lista você encontrará 10 grandes exemplos para cada um desses dois universos. Isto é, 10 jogos de animes e 10 animes de jogos. Então, se você é fã dos desenhos japoneses e dos games, sugiro que não deixe de acompanhar até o fim, beleza?

Jogos de Animes…

Como eu expliquei, esta lista considera como jogos de animes, aqueles títulos que foram lançados como produtos derivados das animações japonesas. Nesta seção, tratei de incluir títulos recentes, alguns clássicos, um sonho de consumo meu e um jogo que marcou a minha infância. Confira!

Dragon Ball Z: Kakarot

Para abrir a seção de jogos de animes, nada mais justo do que citar Dragon Ball Z: Kakarot. O game foi lançado em 2020 e conseguiu conquistar os fãs do anime Dragon Ball Z com suas construções diferenciadas (em relação a outros jogos baseados no referido anime).

Dragon Ball Z: Kakarot é um RPG de ação em mundo aberto, que encanta por “recontar” a história de Dragon Ball Z de uma forma tão empolgante quanto nostálgica.

Além do visual impecável e das batalhas eletrizantes, o game dá aos players uma experiência na qual eles “entram na pele” dos guerreiros Z. Não à toa, os reviews acumulados pelo game são, em sua maioria, muito positivos.

Jump Force

Jump Force, lançado em 2019, pode ser considerado como uma espécie de “Justice League Nipônica”. Pois é! O game, que promove combates entre times de três lutadores, reúne os principais personagens dos maiores animes da história.

Apesar de ter sido um dos jogos mais falados do início de 2019 (antes do lançamento), Jump Force acabou não sendo o jogo incrível que os fãs dos animes esperavam. Na verdade, seu maior apelo acabou sendo os grandes nomes que fazem parte do time de personagens.

Ichigo, Goku, Vegeta, Piccolo, Naruto, Sasuke, Luffy, Zoro, Seiya, Yusuke, Kenshin… enfim, esses foram alguns dos personagens que fizeram de Jump Force, um game mais atrativo do que ele realmente é. De todo modo, o título acaba sendo uma prova do quanto os animes são importantes.

One Piece: Pirate Warriors 4

One Piece: Pirate Warriors 4 é o mais recente título da franquia de games do “gênero Musou”, baseada no anime One Piece. Nessa aventura, os players assumem o controle dos icônicos personagens do desenho e lutam contra hordas de inimigos.

Lançado em 2020, One Piece: Pirate Warriors 4 conseguiu apresentar algumas soluções criativas para um gênero bastante limitado. Suas batalhas são bem empolgantes e os objetivos de cada missão adicionam certo grau de estratégia à ação desenfreada.

Logicamente, o apelo do game continua sendo o rico universo e os incríveis personagens criados por Eiichiro Oda. Aliás, para quem deseja um resumo de um anime lendário, que já está em exibição desde 1999, o jogo é perfeito!

Dragon Ball FighterZ

Por mais que alguns dos jogos baseados em Dragon Ball tenham sido grandes clássicos entre os jogos de luta, Dragon Ball FighterZ trouxe aos fãs aquilo que eles sempre desejaram.

Sim! O game foi lançado em 2018 e trouxe consigo uma série de conceitos de outros grandes jogos de luta, como Marvel vs. Capcom e The King of Fighters. Com isso, o título acabou fazendo enorme sucesso.

O visual incrível de Dragon Ball FighterZ apenas contribui para aumentar ainda mais o apelo do gameplay. Sem dúvidas, embora as séries Dragon Ball Xenoverse e Dragon Ball Z: Budokai tenham seu apelo, esse é o melhor jogo de luta baseado no anime.

Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 4

O lendário anime Naruto é um dos mais conhecidos do mundo. Por conta disso, diversas séries de jogos já foram criadas com base em suas histórias. Dentre essas séries, a famosa “Série Storm” é uma das mais amadas.

Dito isso, incluo nesta lista de jogos de animes, o implacável Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 4, de 2016. O game consegue replicar toda a emoção do anime de uma forma impecável, gerando momentos de grande diversão e adrenalina.

Como não poderia deixar de ser, os grandes destaques do jogo são o visual requintado, o grande número de personagens e algumas mecânicas curiosas, que definem os jogos da “Série Storm”. Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 4 é um título obrigatório para quem curte o ato de “lançar alguns jutsus” por aí…

Yu-Gi-Oh! Forbidden Memories

Levando esta lista de jogos de animes para o passado, relembro agora do icônico Yu-Gi-Oh! Forbidden Memories. O game foi lançado em 1999, para o PS1, e conseguiu aproveitar o grande “boom” do anime.

Apesar de não seguir as regras dos duelos à risca, Yu-Gi-Oh! Forbidden Memories conseguiu fazer bom uso das ideias do anime Yu-Gi-Oh!, aproveitando os personagens para gerar uma trama bem interessante.

Para quem estava acostumado a temer os Dragões Brancos de Olhos Azuis (por causa do desenho), o jogo mostrou cartas ainda mais terríveis e batalhas extremamente complicadas. Em suma, um grande jogo de cartas, com um sistema de duelos bem dinâmico e desafiador. Clássico!

Attack on Titan 2: Final Battle

O anime Attack on Titan é um dos grandes nomes que surgiram no mundo dos animes nos últimos anos. Devido a isso, jogos como Attack on Titan 2: Final Battle acabaram sendo lançados para “pegar carona” no sucesso. No entanto, esse game de 2018 vai muito além de um lançamento oportunista.

Attack on Titan 2: Final Battle é um jogo de ação com elementos de RPG que realmente consegue replicar a adrenalina das batalhas apresentadas no anime. Além do mais, tudo é apresentado com um visual muito bem construído.

Em síntese, o jogo consegue encantar os fãs do anime com seu gameplay movimentado e garante uma experiência bem divertida e envolvente, ao promover lutas contra poderosos e gigantescos adversários.

Saint Seiya Ultimate Cosmo

Aqui na GM, temos muitos fãs do anime Cavaleiros do Zodíaco. Logo, tratei de incluir na lista o excelente Saint Seiya Ultimate Cosmo. Por ser um projeto fan-made, o jogo é dotado de construções que revelam todo o carinho dos desenvolvedores.

Saint Seiya Ultimate Cosmo vem sendo atualizado desde 2014 e faz uso da lendária game engine conhecida como M.U.G.E.N. Os detalhes do jogo são encantadores e as lutas são muito empolgantes.

Para quem é fã de Cavaleiros do Zodíaco, esse jogo pode, facilmente, ser considerado o melhor já lançado, mesmo em comparação com jogos de desenvolvedoras gigantes. Vale muito a pena conferir!

Gintama Rumble

Como eu destaquei no início desta lista de jogos de animes e animes de jogos, um dos títulos da minha seleção seria um “sonho de consumo”. Bem, esse título é Gintama Rumble, um jogo do “gênero Musou” baseado no meu amado anime Gintama.

Ainda que tenha sido lançado em 2018, Gintama Rumble continua sendo meu sonho de consumo, pois é exclusivo do PS4 e do PS Vita (atualmente, eu estou jogando no PC). De qualquer forma, já que Gintama é um dos animes perfeitos para um bom Musou, tudo indica que o jogo é imperdível.

O anime não é tão popular aqui no Brasil, mas é um dos mais reverenciados em todo o mundo (assista!). Enfim, como uma das personagens do anime diz no trailer do game: “eles nos deram ataques especiais, mesmo que nós não tenhamos nenhum! Bom trabalho, Bandai Namco!”.

Gegege no Kitarou: Fukkatsu! Tenma Daiou

Para fechar a parte “jogos de animes” desta lista, deixo aqui uma história… quando eu era criança, meus pais me presentearam com um Super Nintendo. Além do Super Mario World, duas fitas vieram no “pacote”: Mortal Kombat 3 e Gegege no Kitarou: Fukkatsu! Tenma Daiou.

Como o título do jogo Gegege no Kitarou: Fukkatsu! Tenma Daiou estava em japonês, meu irmão e eu começamos a chamar a fita de “japonesinha”. Anos mais tarde, eu descobri que o jogo, lançado em 1993, era baseado no anime Gegege no Kitarō.

E foi graças ao game que eu descobri essa pérola entre os animes. Recentemente, Gegege no Kitarō teve uma nova série finalizada, mas sua história começou na década de 60. Kitarō é um dos personagens mais importantes da história dos animes. Quanto ao jogo, posso dizer que os desafios são bem complicados, mas a diversão fica garantida.

Animes de Jogos…

A partir deste ponto, esta lista estra na parte dos “animes de jogos”. Isso quer dizer que separei uma série de grandes animes que foram baseados em games. Dessa maneira, poderei provar que o elo entre os dois universos é bem forte. Acompanhe…

Valkyria Chronicles

Entrando na segunda metade desta lista de jogos de animes e animes de jogos, apresento Valkyria Chronicles. O jogo foi lançado em 2008 e surpreendeu a todos. Rapidamente, suas mecânicas originais conquistaram os fãs e a crítica, gerando muitos prêmios e abrindo margem para outras produções.

Dentre essas “outras produções”, um anime homônimo foi lançado em 2009 e contou com 26 episódios. A trama é baseada no game de uma forma bem livre. Isso quer dizer que a história do jogo não atrapalha a história do anime, embora as referências estejam presentes.

No geral, Valkyria Chronicles é um bom anime, com cenas emocionantes e uma mescla de fantasia e realidade que consegue encantar e envolver aqueles que gostam de histórias de guerra… não deixe de conferir!

Steins;Gate

Como o gênero “visual novel” não é muito popular aqui no Brasil, as pessoas costumam acreditar que Steins;Gate já nasceu como um anime. A verdade é que o título foi lançado em 2009, para o Xbox 360 e, só depois, em 2011, que o anime foi lançado. E que anime!

Para quem gosta de tramas envolvendo viagens no tempo e paradoxos temporais, Steins;Gate é um prato cheio. Apesar de apresentar certas passagens bem infantis, a história é muito madura e força os espectadores a continuarem acompanhando até o fim.

O anime Steins;Gate original conta com 24 episódios e fez tanto sucesso que uma “série alternativa”, chamada Steins;Gate 0, foi lançada em 2018. Essa “sequência” também foi baseada em uma visual novel e também fez mais sucesso do que o produto original.

Street Fighter II Victory

Falemos agora de um combo de lendas: Street Fighter II (o game) e Street Fighter II Victory (o anime). Essa dupla se destaca por apresentar o mais alto nível, em duas frentes distintas.

Street Fighter II, o jogo, foi lançado em 1991 e se tornou um dos grandes responsáveis pela popularização dos jogos de luta. Anos depois, em 1995, Street Fighter II Victory tratou de usar as bases estabelecidas pelo game em uma adaptação bem livre.

Aqui no Brasil, o anime foi exibido pelo SBT. Quem consegue esquecer do Hadouken do Ryu, que parecia durar semanas para ficar pronto? Apesar de ter mexido bastante com a aparência dos personagens, Street Fighter II Victory se tornou um clássico muito amado.

Pokémon

Falemos agora de uma franquia de jogos que deve grande parte do seu sucesso ao anime. Pokémon, ao contrário do que muitos imaginam, não começou no mundo das animações.

Isso mesmo! O anime foi lançado em 1997, um ano após Pokémon Red & Blue, do Gameboy, terem feito um sucesso estrondoso. Contudo, é inegável que Pokémon (o anime) foi o grande responsável por transformar a franquia no sucesso que ela é hoje.

No Brasil, Pokémon foi exibido inicialmente pela Rede Record e se tornou um grande fenômeno junto ao público mais jovem. Reza a lenda que as pessoas que acompanharam a estreia de Pokémon aqui no Brasil ainda se lembram da canção da primeira abertura, que recentemente recebeu um tratamento especial dos nossos parceiros da Gameration.

Monster Rancher

Diretamente da “Era da TV Globinho”, temos Monster Rancher. O anime foi lançado em 1999 e teve um total de 73 episódios. Aqui no Brasil, muita gente conheceu o game após o anime, mas a verdade é que o primeiro jogo foi lançado em 1997.

Foi com base no sucesso desse título e da sua sequência, Monster Rancher 2 (de 1999), que o anime foi lançado. Os jogos tinham a curiosa mecânica de usar outros CDs do PS1 para gerar monstros distintos.

Ainda hoje eu me recordo com carinho do Monster Rancher 2. Eu testei todos os CDs da minha biblioteca do PS1 (mais de 300 jogos) e montei uma enciclopédia de monstros. Só emoção!

God Eater

A franquia God Eater estreou no mundo dos games em 2010, mas sua versão em anime só foi lançada em 2015. Contando com 13 belos episódios, a produção deixou muitas pontas soltas, mas conseguiu aproveitar o rico universo de God Eater com muita qualidade.

Apesar de apresentar alguns personagens dos jogos da franquia, o anime God Eater conta uma história independente e traz alguns episódios bem interessantes.

Sinceramente, é uma pena que a produção tenha ficado apenas na primeira temporada. Observando a forma como a trama estava sendo desenvolvida, acho que mais episódios iriam gerar uma impacto ainda maior.

Devil May Cry

Dando continuidade à parte dos “animes de jogos” desta lista, Devil May Cry surge como uma produção que também teve poucos capítulos, mas conseguiu encerrar a trama de uma forma bem satisfatória.

O anime foi lançado em 2007, dois anos após o encerramento da trilogia Devil May Cry no PS2, ou seja, após Dante’s Awakening. De certo modo, a produção cria uma ponte entre o primeiro título da franquia e o quarto, que foi lançado em 2008.

Na aventura, Dante é contratado para proteger uma garotinha chamada Patty Lowell e, claro, demônios acabam “entrando na jogada”. O anime possui um visual bem requintado e os banhos de sangue são viscerais. Muito bom!

Persona: Trinity Soul

Por mais que os games Persona 4 e Persona 5 tenham recebido versões em anime, resolvi chamar a atenção para um anime original, que foi concebido com base em todos os conceitos nos quais a franquia Persona se baseia.

Persona: Trinity Soul conta com 26 episódios e apresenta uma trama cheia de reviravoltas, com algumas passagens bem emocionantes. Por se tratar de um produto original, apenas algumas referências aos jogos são feitas.

De qualquer maneira, esse é aquele tipo de anime que tem um ritmo mais lento, com a trama sendo o principal ponto de destaque e não a ação. Para quem curte suspenses policiais, é uma ótima pedida!

Castlevania

Atualmente, qualquer discussão sobre jogos de animes ou animes de jogos deve, obrigatoriamente, incluir Castlevania. O anime foi lançado em 2017 e, até o momento, já exibiu três temporadas incríveis.

Castlevania tem sido exibido pela Netflix e chamado a atenção por seu belo estilo de arte (influenciado por Castlevania: Symphony of the Night), por usa trama e pela presença de personagens icônicos dos games da franquia.

Apesar de estar fazendo enorme sucesso, Castlevania também dividido opiniões. Certas decisões do roteiro têm decepcionado alguns fãs, mas, essas mesmas decisões deixaram muita gente no hype, para aquilo que virá na sequência.

Tales Of

Para fechar esta lista, trago uma série de jogos que faz a confusão do meu jogo de palavras (jogos de animes, animes de jogos) ficar ainda maior. Quem acompanha as minhas participações aqui na GM sabe que eu sempre dou um jeito de citar a minha amada Tales Of.

A franquia Tales Of nasceu em 1995, com Tales of Phantasia, e sempre apresentou um visual baseado nos animes japoneses. Por conta disso, a transição que alguns jogos fizeram para as animações não foi nada fora do comum.

Dentre as produções mais destacadas, sugiro que você assista: Tales of Abyss (2008, 26 episódios), Tales of Phantasia: The Animation (2004, 04 episódios) e Tales of Zestiria The X (2016, 26 episódios). Detalhe: se você não jogou os jogos e pretende jogá-los, não assista!

Jogos de Animes e Animes de Jogos: quer complementar a lista?

Por meio desta longa lista, acredito que consegui deixar claro o fato de que o universo dos games e o universo dos animes caminham lado a lado. Seja de anime para game ou de game para anime, os produtos gerados são capazes de encantar os fãs dessas duas mídias.

E como eu sei que há muitos jogos de animes e animes de jogos por aí, convido você a compartilhar o post e comentar, fazendo as suas indicações. Dessa maneira, poderemos criar uma lista ainda mais completa. Conto com a sua ajuda… até a próxima!

TagsListas
Yohan Bravo