Hideo Kojima afirma que Death Stranding é uma resposta a Trump e ao Brexit

No dia 01 de novembro, o embargo dos reviews relacionados a Death Stranding chegou ao fim. A partir da referida data, a internet foi tomada por verdadeiras dissertações feitas por pessoas que tentaram entender a visão do icônico Hideo Kojima. Contudo, poucas pessoas realmente entenderam a mensagem que o japonês quis passar. Por isso, nada melhor do que ouvir do “próprio homem”…

Em entrevista dada à BBC, Hideo Kojima deixou claras as inspirações e intenções do vindouro Death Stranding…

“A era de hoje é sobre o individualismo. Podemos estar conectados pela Internet mais do que nunca, mas o que está acontecendo é que as pessoas estão se atacando porque estamos muito conectados. O presidente Trump agora está construindo um muro. Também temos o Brexit, onde o Reino Unido está tentando sair, há muitas paredes e pessoas pensando apenas em si mesmas no mundo. Em Death Stranding, estamos usando pontes para representar a conexão – há opções para usá-las ou quebrá-las. Trata-se de fazer as pessoas pensarem no significado da conexão. […] Quando estamos conectados, temos uma responsabilidade uns com os outros, a mídia social não parece ter essa responsabilidade. Cuidar um do outro é o que faz as pessoas se sentirem bem. Sempre fomos assim no passado, quero que as pessoas se lembrem disso e sintam isso no meu jogo”.

Bem, pelo que vimos até então, é inegável que Death Stranding tem uma “pegada diferenciada”, mas a questão que eu tenho levantado nos últimos dias, persiste: até que ponto as pessoas entenderão esse “lado diferente”? De todo modo, as intenções do japonês são interessantes e até louváveis.

Yohan Bravo