Melhores Jogos de Terror

15 Melhores Jogos de Terror para Gamers Corajosos

Muita gente adora o gênero terror, tanto nos filmes, como principalmente nos jogos. O gênero traz para as pessoas sensações de pavor, misturado com adrenalina, tensão, e no fim de tudo, esse “mix” de emoções acaba se transformando numa experiência divertida para muitas pessoas (nem todas! rs). Portanto, não é à toa que os jogos de terror acabam sendo campeões de vendas pelo mundo todo.

Abaixo vamos classificar os quinze melhores jogos de Terror segundo a nossa equipe da GamesMAX. Confira!

Dead by Daylight

Desenvolvido pela Behavior Interactive, Dead by Daylight foi lançado inicialmente para PC, PS4 e Xbox One. Recentemente, também foi lançado para Nintendo Switch e ganhou uma versão para celular. Esse título de sobrevivência de terror, com certeza, vai te garantir muitos sustos e palpitações aceleradas. O jogo consiste, basicamente, em sobreviventes fugindo de um assassino.

Os assassinos se personificam de diversos tipos, podendo ser um clássico psicopata sanguinário ou até mesmo seres sobrenaturais. O jogador, que incorpora o “serial killer”, tem a visão em primeira pessoa e sua missão é caçar os sobreviventes que estão se escondendo e tentando fugir.

Já aqueles que estão controlando os sobreviventes podem começar a correr! O objetivo é tentar fugir do mapa sem ser capturado. A visão dos sobreviventes é em terceira pessoa, sendo possível jogar individualmente ou em um grupo de amigos. Cada sobrevivente possuí uma habilidade em específico que vai ajudar na missão, e para viabilizar a fuga, os sobreviventes podem usar objetos do cenário para despistar o assassino e também utilizar itens encontrados ao longo do mapa (exemplo: lanterna, caixa de primeiros socorros, dentre outros).

The Evil Within 2

Produzido pela Tango Gameworks, de Shinji Mikami, The Evil Within 2 foi lançado para PC, PS4 e Xbox One, e segue a mesma linha do jogo anterior (The Evil Within), consiste num jogo de sobrevivência de terror e é jogável em terceira pessoa.

O protagonista do jogo continua sendo “Sebastian”, e a história do título se passa três anos após o primeiro jogo da série. É de comum acordo, que esse jogo é campeão na “arte de dar sustos”. Comparando com o jogo anterior, ele absorve uma atmosfera muito mais voltada ao horror e abusa do clima pesado, os ambientes escuros e os barulhos sinistros do cenário já bastam para deixar o jogador “suando frio”.

The Evil Within 2 possuí excelentes gráficos e uma boa jogabilidade, no entanto, cabe dizer que foi alvo de críticas a respeito dos combates contra as criaturas e os “chefões”, pois não é tão desafiador quanto esperado.

Alien: Isolation

Lançado pela Creative Assembly, Alien: Isolation está disponível para PC, PS3 e Xbox 360. O filme Alien já assusta muita gente desde os anos 70, não é para menos porque se trata de um alienígena asqueroso, que cospe ácido, e arrasta suas vítimas para servirem de hospedeiros para suas crias.

A história do jogo é protagonizada por Amanda Ripley, a qual se encontra numa busca por sua mãe, Ellen Ripley, que está desaparecida. Nessa jornada, seguindo pistas que levam ao paradeiro de Ellen, Amanda fica presa numa estação espacial chamada Sevastopol, e adivinha quem está lá também? Sim, o Alien! Daí inicia-se todo o terror do jogo, onde Amanda, desarmada e munida de alguns equipamentos básicos tem que sobreviver e tentar fugir da Estação de Sevastopol.

O título surgiu para dar esperança a jogos da franquia Alien, pois Alien: Isolation foi antecedido por uma série de fracassos, e deixou muitos fãs desesperançosos por um bom jogo que retratasse todo o terror e qualidade do filme.

Outlast 2

Criado pela Red Barrels, Outlast 2 pode ser aproveitado no PC, PS4 e Xbox One. O jogo é jogável em primeira pessoa, e o protagonista se chama Blake, um jornalista/cinegrafista que inicialmente, junto à sua esposa Lynn, investigava o assassinato de uma mulher grávida no Norte do Arizona e, após um acidente de helicóptero, passa a procurar sua esposa (que sumiu após a queda) num vilarejo tomado por uma seita chamada “Testamento do Novo Ezequiel”.

Para aterrorizar os jogadores, a franquia Outlast aposta num estilo de sobrevivência de terror um pouco diferenciado. O protagonista não combate com seus adversários, sua única “arma” é uma câmera, quando confrontado ele pode se esconder em armários, embaixo de camas, ou simplesmente correr! A proposta do jogo realmente é trazer a tensão e o medo ao player, uma vez que estar num ambiente totalmente hostil, presenciando lugares tenebrosos e, principalmente, desarmado, torna a experiência muito mais assustadora.

Dead Space

Dead Space conta a história de um engenheiro espacial chamado Isaac Clark e sua equipe, a qual é responsável por verificar as condições de uma “nave mineradora” que perdeu comunicação com a Terra e permanece inoperante. Quando a equipe se aproxima da nave fantasma, são surpreendidos por uma chuva de meteoros, e são obrigados a fazer um pouso forçado no local a ser investigado. A partir daí é que a história de terror começa, tecnicamente presos na nave fantasma, são obrigados a enfrentar toda a tripulação infectada com uma doença alienígena que transforma as pessoas em criaturas sanguinárias, chamados de Necromorphs.

O jogo é bem assustador, apresentando cenários bizarros em toda a sua extensão, demonstrando que uma carnificina ocorreu naquele local. Sua jogabilidade é bem fácil e intuitiva. Por se tratar de uma nave mineradora, muita das armas utilizadas são ferramentas usadas pelos antigos tripulantes, mas durante o jogo é possível se armar com rifles automáticos. Assim como Alien: Isolation, Dead Space representa muito bem o gênero terror somado ao ambiente espacial.

Amnesia: The Dark Descent

Amnesia: The Dark Descent é exclusivo para PC. Nesse jogo, vivemos na pele de Daniel, e assim como em Outlast, estamos desarmados! Como o próprio nome do game diz “AMNESIA” (perda de memória), Daniel não se lembra do que aconteceu e se vê diante de um castelo sinistro, e passa a explorá-lo. Dento do castelo, Daniel se encontra com criaturas horripilantes, das quais ele tem que se esconder e até mesmo não olhar para elas, para que seus níveis de sanidade mental não se alterem. Em meio a essa jornada, Daniel passa a desvendar mistérios e a se relembrar do porque está naquela situação.

Amnesia: The Dark Descent segue uma linha similar ao Outlast, não é um jogo de enfrentamentos e sim de inteligência, o player deve tomar as melhores ações para chegar até o fim com vida.

Until Dawn

Until Dawn, desenvolvido pela Supermassive Games para PS4, tem um merecido lugar na nossa lista de melhores jogos de terror, inicialmente porque ele tem uma mecânica muito legal para “forçar” a ser jogado mais de uma vez. No decorrer do jogo, uma série de decisões será lançada, e a cada escolha feita, um desfecho diferente se apresenta.

A história é focada num grupo de amigos que resolve viajar para as montanhas durante o inverno, e dentro desse contexto, os eventos passam a se desencadear: psicopata à solta, perseguições, criaturas humanoides, dentre outras situações sinistras. A história de como será o título quem vai dizer é você.

Until Dawn foi criado originalmente para ser jogado utilizando a Playstation Camera (semelhante ao Kinect), justamente para que ele seja o mais imersivo possível, mas também pode ser jogado com o controle DualShock.

Layers of Fear

Layers of Fear, disponível para PC, PS4 e Xbox One, impressiona com seus gráficos incríveis que descrevem com precisão os detalhes da casa por onde um artista (com problemas psicológicos), sedento por finalizar sua tela, precisa percorrer para desvendar mistérios do seu estado mental e da sua família, e assim, conseguir finalizar a sua obra-prima.

O título é um primo próximo de Amnesia e Outlast, segue na jogabilidade em primeira pessoa, na qual o protagonista está desarmado e tem que se defender como pode das adversidades sinistras que surgem à sua frente. Para quem gosta de tomar susto e percorrer ambientes com mínima luminosidade, sem dúvida, apreciará cada minuto.

Resident Evil 7: Biohazard

Estava demorando para o Resident Evil aparecer aqui, não é mesmo? Pois é, mas ele apareceu! Resident Evil 7 tem um lugar especial na nossa lista. Esse jogo veio para revolucionar todo o sucesso da marca. Por mais que todos os RE fossem um sucesso de vendas, e realmente foram todos grandes jogos de uma forma geral, mas é notável que em determinado momento a série passa contar com um padrão de história e de inimigos. Houve mudanças significativas na jogabilidade a partir do Resident Evil 4 que, notadamente, deixou o jogo com mais adrenalina e ação, mas nada muito revolucionário. Quando a Capcom liberou um teaser de RE VII, em que era possível jogar um curto trecho do jogo, os fãs foram à loucura. Houve uma completa transformação no Resident Evil, ele estava totalmente diferente. A começar pela jogabilidade, abandonando o tradicional “3ª pessoa” e passando para “1ª pessoa”, também passou a focar nos cenários voltados para o mórbido e sombrio, contando com sustos por toda parte (daqueles que te fazem jogar o controle longe), e o enredo menos apocalíptico e mais focado numa situação particular. Ou seja, o jogo mudou, e ficou muito bom!

Em Resident Evil 7, Ethan, personagem principal, procura pela sua esposa Mia, e as pistas o levam a uma casa com aspecto abandonado, local esse que abriga uma família infectada e asquerosa que aparenta ter capturado Mia. Prepare-se para uma jornada aterrorizante, onde Ethan deverá resolver uma série de mistérios, enfrentar diversas criaturas, e claro, os membros da família, para descobrir o que houve com sua esposa.

Soma

Como a maioria dos jogos de sobrevivência de terror, Soma inicia sua história com um acidente. Simon Jarret, fotógrafo, sofre um acidente de carro violento que tira a vida da amiga que o acompanhava, e passa a ter que conviver com uma lesão cerebral que o leva a ter dores de cabeça constantes. Na esperança de tratar o seu problema, procura ajuda com especialistas que sugerem um tratamento eficaz, no entanto, no momento de ser analisado para iniciar os cuidados, tudo se apaga, e quando Simon acorda se depara em uma base futurista embaixo da água, e a partir daí Simon inicia o seu caminho para fugir de um local cheio de criaturas dispostas a matá-lo.

Soma tem gráficos bons o suficiente, mas não tão detalhistas quanto outros jogos do gênero. O ambiente futurista e escuro consegue permitir ao usuário uma boa sensação de terror, proporcionando sustos a todo momento. No entanto, apesar dos sustos, o jogo tem um enfoque muito maior na complexidade da história do que num terror mais explícito como “Outlast” ou “Amnesia” apresentam.

The Dark Pictures: Man of Medan

The Dark Pictures: Man of Medan está disponível para PC, PS4 e Xbox One. Esse jogo conta a história de um grupo de amigos que se encontra preso numa embarcação abandonada que está aparentemente tomado por seres amaldiçoados. O título segue uma linha semelhante ao “Until Dawn”, em que os jogadores precisam tomar decisões a todo momento, as quais terão influência no desenrolar da história.

O jogo é jogado na terceira pessoa e oferece duas opções de multiplayer. Um modo multiplayer é o chamado “História Compartilhada”, e o outro (muito legal) chamado de “Noite no Cinema” que consiste na ideia de que um grupo maior de pessoas interaja na mesma história. Cada um do grupo escolhe um personagem, e o jogo dirá quem jogará naquele momento, e quem tomará determinada decisão.

Blair Witch

Desenvolvido pela Bloober Team, Blair Witch está disponível para PC, PS4 e Xbox One. O título foi inspirado no filme “A Bruxa de Blair”, de 1999, um filme que deixou uma geração inteira “de cabelos em pé”. A trama desse jogo consiste em torno de um policial chamado Ellis Lynch e o seu cachorro “Bullet” (projetil ou “bala” em inglês) que está procurando por um garoto que se perdeu na floresta de Black Hills, local onde perdura os mitos da Bruxa de Blair.

Blair Witch é bem voltado para o mistério e é jogado em primeira pessoa. Ao longo do caminho, Ellys encontra bonecos de “voodoo” feitos de madeira (como os do filme), fotos e vídeos das pessoas que desapareceram na floresta, e esses detalhes mostram a Ellys que o desaparecimento do garoto se trata de algo muito mais sinistro e perturbador. O cachorro “Bullet” é um coadjuvante importantíssimo para a saga de Ellys, pois ele é responsável por dar uma direção geral de onde ir, além de existir algumas áreas que apenas o cachorro consegue entrar para descobrir itens e pistas. “Blair Witch” conta também com momentos de decisões que podem afetar a narrativa.

A Plague Tale: Innocence

Produzido pela Asobo Studio, A Plague Tale: Innocence foi lançado para PC, PS4 e Xbox One. A aventura é ambientada na Era Medieval e jogável em terceira pessoa. Na história, os pais de Amicia (protagonista) foram assassinados pela Inquisição, e agora Amicia e seu pequeno irmão Hugo têm como missão sobreviver. O suspense toma conta do jogo, e Amicia tem que abusar da furtividade para conseguir se esconder a todo momento. Os gráficos impressionam e trazem ao jogador uma experiência muito boa. Além disso, os cenários mudam bastante e é nítido que todos os ambientes foram desenhados com muito cuidado. O elemento-chave do jogo não é um terror de monstros sanguinários, mas sim a temática da Peste Negra que preenche a narrativa de ponta a ponta com legiões de ratos ferozes que atacam como um enxame.

Fatal Frame II: Crimson Butterfly

Fatal Frame II: Crimson Butterfly foi criado para Playstation 2 e Xbox. É o jogo mais antigo da lista, mas tem um espaço garantido na nossa lista por ser um dos pioneiros do gênero “survival horror”. O game é jogado em primeira pessoa e conta a história das irmãs gêmeas Mayu e Mio Amakura que encontram uma câmera antiga num vilarejo, quando derrepente Mayu é atacada por fantasmas e some, e Mio passa a ter como missão salvá-la e fugir do vilarejo o quanto antes. O game possuí momentos de muitos sustos, pois os inimigos são fantasmas que surgem a todo a hora em momentos que você menos espera. A arma do jogo consiste na câmera encontrada que possibilita enxergar os espíritos e atacá-los conforme o “click” da foto.

Resident Evil 2

Fechando com “chave de ouro” temos novamente mais um jogo da série Resident Evil. Dessa vez trata-se do remake feito do clássico Resident Evil 2 lançado em 1998 (quem se lembra de ter que escolher com qual CD iria iniciar o jogo? Leon ou Claire?). Resident Evil 2 é um grande clássico, que conta a história de quando o vírus desenvolvido pela Umbrella Corp se espalhou por toda Raccoon City. Dessa vez, o jogo foi refeito no sentido gráfico, mas mantendo a originalidade do antigo Resident Evil 2.

Conclusão…

Essa foi a lista da GamesMAX sobre os nossos queridos jogos de terror. E aí já jogou todos? Sentiu falta de algum? Conta pra gente aí nos comentários.

Tarik Malantrucco